terça-feira, 24 de novembro de 2009

CFR: CURSO DE AGROECOLOGIA

Promovido e programado pela ARCAFAR-SUL, com recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário [MDA], na segunda-feira, 22/11/09 [e foi até 26/11/09], na Casa Familiar Rural, de Candói. O Ministrante é um jovem Engenheiro Agrônomo [perto do final do processo de formação], contratado pela COOPERATIVA EDUCACIONAL DE SANTA CATARINA [COOESC]. Iniciei juntamente com @s inscrit@s o Curso de Agroecologia. A minha intenção é aprender mais e dar apoio moral e logístico à iniciativa, que promete ser de grande valor para a formação de noss@s educand@s.
Tenho 860 horas de curso em Agroecologia [Escola Sul da CUT, 1999-2000] e mais uma Especialização em Educação do Campo [540 h/UFPR, 2006 a 2008] com algumas disciplinas em Agroecologia [de forma específica] e a maioria com ênfase em práticas alternativas e emancipatória d@s trabalhador@s do campo. Estes cursos tiveram atividades práticas no campo [lavouras, formação e tipos de solo, organização solidária, cooperativa, políticas públicas, linhas de crédito, dentre outros].
Quanto à minha experiência é pequena, talvez não ultrapasse muito a horta de casa e o jardim. E avalio que é a nossa prática [sempre embasada pela teoria e gerando nova teoria a partir da prática] que dá sustentação ao que dizemos, ao que ensinamos às pessoas. Por isso que é minha meta, a partir do primeiro momento que dispôr de tempo [além do tempo de minha opção pela Educação] cuidar e trabalhar uma UPVF [um sítio, uma data, um lote] nesta perspectiva, junto com outr@s Agricultor@s!
Falando ainda sobre nosso curso na CFR, temos a expectativa que durante a ministração da 2ª parte possa haver mais atividades de campo, práticas de preparação de caldas e/ou preparados alternativos para combater desequilíbrio do solo, o ataque de insetos, ácaros, nematóides e outros.
Quanto ao mais, parabéns pelo trabalho realizado na primeira parte do Curso de Agroecologia.

A propósito, uma observação:
Nunca falei mal da CFR! Nem tive motivo para fazê-lo!
Em todos os artigos que escrevi aqui só falei bem do que é uma CFR, de seus princípios, de sua organização, de sua pedagogia, dos seus mantenedores, de suas dificuldades, das parcerias, convênios, etc.
Falei mal, sim, dos maus políticos que só olharam para seus umbigos e para seus interesses politiqueiros e colocaram a Casa Familiar Rural em grandes dificuldades e prejuízo.
Eles sim falaram muito mal da CFR, falaram mal das pessoas que trabalharam antes deles, na maioria das vezes de forma superficial, porque não olharam o todo do processo educacional e organizacional da CFR. Mas olharam o aspecto estético da CFR. 
Falei, com muita tristeza de atitudes mesquinhas e egoístas, de companheiros de trabalho, que na verdade eram amigos deles mesmos. Não tinham um compromisso com a CFR e a Pedagogia da Alternância.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Festa Nacional do Charque - Uma "Festa Popular"?


A Festa Nacional do Charque (FNC) até poderia ser popular, isto é, que coubesse dentro do orçamento da maioria do Povo, dentro do suas possibilidades financeiras, conforme as condições dos Trabalhadores e das Trabalhadoras. Para saber sobre esta questão estamos ouvindo os depoimentos de quem foi à FNC para saber se foi ou não popular.
Até aqui constatamos que os preços da alimentação praticamente dobraram. Isto tanto na praça de alimentação quanto nas barracas que vendiam salgados, creps, refrigerantes e outros. Os almoços foram preparados por uma empresa local ("Morena Rosa"?) e houve quem dissesse que estava muito bom.
Mas não sabemos ainda sobre os preços cobrados pela Prefeitura Municipal (que organiza o evento) pelas barracas cedidas a quem instalou seu comércio no local da festa.
Cabe ressaltar que a iniciativa de criar um evento municipal com esta proposta de 'recuperar a tradição do charque' é muito bacana, pois relembra as bases históricas, econômicas e culturais de nossa região, seja como criadora de gado bovino, seja como local de onde saiam tropeadas ou como ponto de passagem de tropas vindas de outras regiãos. Aliás, o tropeirismo é uma parte da programação da FNC e é muito concorrido... Neste ano de 2009 a tropeada contou com quase 200 cavaleiros/as.
E lembrar de tropeadas é lembrar do charque como parte dos víveres que constituiam o alimento dos tropeiros.
E agora cabe perguntarmo-nos quantos estabelecimentos ou agroindústrias em Candói produzem este elemento tradicional, o 'charque', que se constitui na base da Festa Nacional do Charque?!?
____________________
Fonte das imagens:

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

E agora José?

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José?


Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?


E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,


seu terno de vidro, sua incoerência,
seu ódio - e agora?


Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?


Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José!


Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, pra onde?
         Carlos Drummond de Andrade

SINTOMAS DA FOME DE "PODER POLÍTICO"

         Poderíamos dizer que são "sinais", ou que são "efeitos", ou que são "resultados"... de quem ascendeu ao poder. Na atualidade (refiro-me desde o final dos anos 80) se ascende ao poder político (Legisalativo e Executivo) pela via eleitoral. Claro que tudo indica que existem políticos saudosistas da velha guarda que gostaria de serem nomeados por uma ditadura direitosa (como aconteceu nos anos 60, 70 e 80). Mas este é assunto para outro dia!
          Queremos focar no fato de que ser eleito nem sempre satisfaz, seja o próprio eleito, seja o eleitor... Porque percebemos alguns sintomas de profundo descontentamento, seja por parte de quem foi eleito como por parte de quem elegeu. Não vamos generalizar, há 'honrosas excessões'! Tem eleitos que parecem solitários, na solidão, descontentes com o 'quadro que se desenhou'! Talvez porque seu 'companheiro' de partido ou de coligação não o deixaria crescer e depois tomar 'seu lugar'. Porque tem gente que no poder não deixa ninguém mais "crescer à sua sombra". É igual outras plantas cultivadas (ou expontâneas) embaixo de pinus ou eucalipto: não vivem e não crescem! Tem eleitos que gostariam de estar sendo paparicados, que uma xusma de puxa sacos estivessem rodeando-os e elogiando-os... Mas não é o que sucede. Há uma espécie de indiferença por parte da base!
Mas há eleitores (aqueles de quem o voto ajudou eleger alguém..) que também estão profundamente descontentes, infelizes, depressivos, apesar de seus(s) candidato(s) ter(erem) sido eleito(s). Vá entender!  Está na cara deles o mal estar estampado. Está em seus olhos. Está em suas reações. Está em sua postura nada cidadã... Por que será?
          Por outro lado há cidadãos que por mais que tenham esperado outro resultado e tenham sido frustrados no pleito eleitoral, que depositavam esperanças em outros candidatos, em outros nomes, em outro projeto, em outros/as homens e mulheres, que estão felizes, estão contentes, estão conformados, porque eles/elas não tem "memória curta", já conhecem a História e sabem como são as coisas e o que pode vir (com certeza!) apesar de não ser o que eles/as desejavam. O "quadro já está pintado", e mormente qualquer coisa que vir não passará de maquiagem, de disfarce, com "movimentos friamente calculados". Pois afinal, como disse Maquiavel: "Os fins justificam os meios" !
          Vamos dizer ainda que somos ingênuos e não sabemos: "Afinal, por que algumas pessoas 'dão a vida' para conquistar o poder?" Ah, "se eu soubesse" !

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

RUAS ESBURACADAS DE CANDÓI E MEMÓRIA...

Por que motivos empresas constroem asfaltos tão fraquinhos, que em pouco mais de quatro anos já estão deteriorados, cheios de buracos que estragam os carros que por ali passam ou obrigam-nos a fazer zig zag?
Por que será que prefeitos esquecem que foram eles que administraram tais construções e logo começam a lançar acusações na mídia contra seus antecessores?
Prefeitos também têm "memória curta" ou é uma forma de "tirar o corpo fora"?
É tão fácil ir a uma emissora de rádio ou a um jornal e jogar acusações para todos os lados!
É muito bom quando nós seres humanos temos a honestidade de olharmos para nós mesmos e reconhecermos quem de fato somos, ao invés de nos escondermos atrás de acusações e calúnias contra outrem!
"Povo sem memória é Povo sem História!" Que pelo menos a memória de nosso Povo cresça cada vez mais para não repetir os erros do passado histórico...

O REVERSO DO DIA DE FINADOS


No domingo, em reunião familiar, conversávamso sobre as ações referentes ao dia dos mortos. Hoje, em nosso local de Trabalho, retornamos ao tema... Naquele dia falávamos sobre as toneladas de flores que são levadas aos cemitérios para enfeitar o espaço das pessoas falecidas. E de como estas flores, na semana subsequente, são transportadas pelo sistema de coleta de lixo até os aterros sanitários. E hoje avaliávamos sobre as toneladas de parafina (ou produto similar) que são igualmente quemadas para homenagear os entes queridos. E que, em dias quentes como tem sido agora, deve aumentar a poluição, como contou-nos um companheiro (Gilberto) que esteve em São Paulo no fim de semana e ao visitar o cemitério, sob um calor de 40 graus, ainda tinha aquele mar de velas aumentando o efeito de calor no ambiente. E, de qualquer modo, as velas constituem um desperdício, pois não fazem diferença alguma para quem já passou para outra dimensão.

Entendemos, em ambas as situações, como um despropósito resultante de uma cultura, de uma crença, de um costume que precisa ser questionado, repensado e dado encaminhamentos mais inteligentes e racionais. Não somos contra o cultivo da memória das pessoas que já morreram... Quando paramos diante de uma simples lembrança nos é muito doloroso a falta das pessoas amadas, que já não estão entre nós, como uma irmã, um vovoso, um/a amigo/a... São lacunas que nos custam muito e não tem como preencher!

Mas nos perguntamos se vale a pena tanto material (flores e velas) simplesmente jogados fora?!? São tantas as instituições sérias que estão trabalhando para resolver as questões sociais da falta de trabalho, da falta de terra, da falta de alimento, da falta de moradia, da falta de educação, das faltas de tudo na vida de tantas pessoas que estão entre nós... E estas não trabalham apenas dando esmolas e criando dependência paternalista! São organizações que tem procurado criar condições de vida digna e aparelhamento aos nossos semelhantes marginalizados pelo sistema excludente. Está ai uma oportunidade de avaliarmos estas ações, que para alguns constituem a unica coisa para relembrar os mortos e depois, durante o ano todo, não fazem mais nada!

É possível, é recomendável e deveria ser  exigido que os cemitérios se tornassem ambientes mais discretos, ajardinados. E até se poderia plantar neles pomares, como era lá em Ponta Grossa/PR, no Convento das Irmãs Servas do Espírito Santo, onde se produziam peras muito saudáveis e gostosas! Junto com espaços verdes há que se pensar menos monumentos que só ocupam o espaço, e partir para recolhimento periódico de ossos (para guardar ou dra outros destinos). Ah, já pensaste como fica bonito um cemitério cheio de flores vivas nele cultivadas, sem aquele monte de plástico ou de flores ali colocadas hoje e que amanhã serão jogadas no lixo?

sábado, 31 de outubro de 2009

"É preciso comer menos carne para salvar a Terra?"

"Fabrice Nicolino, autor de Bidoche, L’Industrie de la viande menace le monde (Éditions Les Liens que Libèrent), respondeu, dia 16 de outubro, às questões dos leitores do Monde.fr sobre os efeitos nocivos do aumento massivo do consumo mundial de carne sobre o meio ambiente e a saúde.
Os diálogos com Fabrice Nicolino estão publicados no Le Monde, 16-10-2009. A tradução é do Cepat.
Ours: De que modo a produção de carne tem consequências sobre a mudança climática?
Fabrice Nicolino: É uma questão complexa, mas dispomos de um documento oficial, institucional, um enorme relatório de 2006 da Organização para Alimentação e Agricultura (FAO), da ONU. De fato, trata-se de uma análise global de todo o ciclo da produção pecuária no mundo. Não somente dos animais, mas a sua alimentação, os meios de transporte utilizados [para levá-los aos frigoríficos]. Esse relatório estima que todo o gado mundial emite 18% de gás de efeito estufa de origem humana, e esse total é superior àquele que diz respeito aos transportes utilizados pelos seres humanos (carros, navios…).
Pharell_Arot: Bom-dia. Sendo um aficionado por carne, eu me pergunto sobre as condições a serem adotadas para conjugar os prazeres alimentares e o desenvolvimento sustentável. Quais são, para você, as precauções que um consumidor médio pode tomar imediatamente?
Fabrice Nicolino: A primeira coisa é lembrar que o consumo de carne na França foi multiplicado aproximadamente por 4 desde a segunda Guerra Mundial. Nós comemos muita carne, por razões econômicas e políticas. Eu realmente não tenho conselho a dar. Minha opinião é que podemos comer muito menos carne, comer uma carne de melhor qualidade. Pessoalmente, eu como carne, mas cada vez menos, e é carne biológica, porque nesta maneira de produzir está proibido o uso em grande quantidade de produtos medicinais e químicos.
Pharrell-Arot: Há consumos de espécies menos perigosas que outras para o planeta? A de porco, por exemplo?"
Continua... Para ler este diálogo na íntegra entre aqui:
http://www.ecodebate.com.br/2009/10/31/e-preciso-comer-menos-carne-para-salvar-a-terra/

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

"Cutrale devolve terras griladas"

Foi exatamente nesta perspectiva que questionávamos em artigo anterior (MST - CUTRALE - TERRAS PÚBICAS - REFORMA AGRÁRIA, 15/10/2009) a questão da Cutrale como grileira de terras públicas. Surpreendeu! Parabéns pelas pessoas que repensaram sua atitude criminosa e ainda desafiaram outras a fazerem o mesmo!

Artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)
"Num gesto único na história brasileira, a Cutrale vai devolver as terras públicas que grilou para plantar laranja. Segundo uma pessoa que ocupa cargo decisivo, “mais importante que sete mil pés de laranja derrubados, são as cem mil famílias de brasileiros que estão na beira das estradas”. O único condicionante da empresa é que as terras sejam destinadas à reforma agrária, dando preferência às famílias que ocuparam o lugar dias atrás.

Para maior surpresa, admitiu que é inconcebível que, “num país de 8,5 milhões de Km2, haja tantas pessoas sem um lugar para trabalhar e até mesmo para morar”.
Continua... EcoDebate

Estamos, na base, de olho para avaliar onde vai dar esta decisão de reparação pública!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

ENCONTRO PROVIDENCIAL...

Estava eu a fazer algumas compras na seção de frutas e verduras de um supermercado de Candói (20.10.09), quando vejo à minha frente um homem que também exercia o mesmo 'ofício'. Lembrei, apesar de seu óculos de sol, tipo tiara, a disfarçar as madeixas, que se tratava de uma pessoa conhecida. Provoquei-lhe... “Que tal, vamos levar o mercado para casa!?” Iniciamos um bate papo informal... Bem sossegado, cado um concentrado em suas compras o suficiente para não perder a compostura na escolha dos produtos... Perguntei-lhe então: “Teu filho estudou comigo, não?” Ao que respondeu: “Ah, o fulano de tal... Sim, pode ser!” Ele não se recordava que já havíamos conversado em outros tempos. E disse-me: “Ele está ali ao fundo!" Logo o mesmo jovem veio até nós e nos cumprimentamos. Este  (que eu chamava de 'selva', 'floresta', significado do seu nome) fora um gurí muito bom como estudante. Era dedicado, responsável e muito educado.
E o homem, sua esposa e filho são moradores do campo. Residentes da Comunidade de São Pedro. E buscam complementar alguns produtos que não são cultivados em sua Unidade de Produção e Vida Familiar (terreno). Passou a explicar-me que era seu sonho ver seu filho formado em um curso universitário, como fez sua filha ao se formar em administração, mas que seu filho não quisera ir para a faculdade. Faria um curso técnico (tipo pós médio). Mas acabou não fazendo nenhum nem outro. Optou por ficar no campo trabalhando junto com o pai e a mãe.
O pai então falou-me que foi aconselhado por amigos a não forçar o filho a estudar mais fora, em outra cidade, em lugar estranho, pois pois poderia ser que estivesse empurrando seu filho para a malandragem e para a marginalidade. Contou que o mesmo trabalha muito bem nas lidas de cultivo das lavouras e cuidado dos animais... Disse que é um filho de ouro, feliz como vive e como trabalha.
Fiquei avaliando como a escola, por mais descontextualizada..., não consegue arrancar todos os camponeses do do seu habitat e empurrá-los para as cidades. Estava ali um exemplo de uma postura consciente, decidida e realizada! Um jovem que optou por ficar junto aos seus progenitores na área de moradia deles, em um espaço possível de se viver,  se desenvolver e ser feliz! Valeu a pena encontrar e recordar e saber mais!

domingo, 18 de outubro de 2009

LIÇÕES DE VIDA

Recebi este material, estas lições de vida, de Regina Brett¹, encaminhadas pela amiga Lucy Silva. Analisei-as, concordei com a maioria. Uma ou outra achei conformista... Mas aqui vai!
& # * & # * & # *

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi.



Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:
1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente, o próximo passo, pequeno .
3. A vida muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use lingerie chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrica/o agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
26. Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente".
___________________ 
Estima-se que 93% não encaminhará isto. Se você for um dos 7% que o farão, encaminhe-o com o título '7% '. Eu estou nos 7%.
¹ Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, em The Plain Dealer, Cleveland , Ohio  - EUA.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

MST - CUTRALE - TERRAS PÚBICAS - REFORMA AGRÁRIA


A poucos dias o MST de forma justa ocupou uma fazenda de produção de laranja e derribou um pequeno pedaço do laranjal da CUTRALE,  grilera que cultiva em terras públicas, para realizar plantação de alimentos básicos e para chamar a atenção das autoridades, dos "representantes do povo" (deputados e senadores), para a grilagem, a necessidade da Reforma Agrária naquela região e no Brasil. 
Naqueles dias a mídia (a serviço da burguesia capitalista e que só defende o capital, o lucro, as empresas) saiu em defesa da pobre CUTRALE, destacou os prejuízos, o vandalismo,  terrorismo, arruaça, atentado à democracia. Os porta vozes do Agronegócio ( "o grande negócio que gera morte para parte do povo brasileiro e vultosos lucros para uma minoria")¹ sairam com os mesmos e desgastados argumentos contra os camponeses, berrando "CPI do MST", porque estes recebem dinheiro público via ONGs que o apóiam,  dentre outros... "O latifúndio", já dizia o Mestre Dr Gracialino, "tem as mãos sujas de sangue!" E neste caso as terras, segundo o INCRA, pertencem à União desde 1909. Só 100 anos... A área possui mais de 2,7 mil hectares, utilizadas ilegalmente pela Sucocítrico Cutrale para a monocultura de laranja - o que demonstra o aumento da concentração de terras no país, como apontou recentemente o censo agropecuário do IBGE"².
E isto só não percebe quem não consegue ouvir, ver e falar!  Mas insisto: observe quanta terra pata produzir laranjas, commodities, fazer dinheiro... "O brasileiro José Luís Cutrale e sua família detêm 30% do mercado global de suco de laranja, quase a mesma participação da Opep no negócio de petróleo"³ e que sozinha se apropria de tudo o que ali se produz! Não, alí não se produz alimento para a população!


______________________________________________
³ http://www.veja.abril.com.br/ - Ed 1802, 14/05/2003.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

"CAMINHO"

Há caminho e caminho! Não nos confundamos...


"Sim, há caminho que ao homem
parece direito, mas o seu fim
são os caminhos da morte"
(Provérbios 14:12).


No caminho dos perversos
não te embrenhes,
não sigas pelo
caminho dos maus"
(Provérbios4.14).

domingo, 11 de outubro de 2009

A QUEM PERTENCE A TERRA?

Leonardo Boff *
No Brasil se discute muito a questão da internacionalização da Amazônia ou a quem pertence essa rica porção do planeta Terra. Sem querer entrar nesta discussão que um dia retomarei, percebo que ela remete a outra ainda mais fundamental: a quem pertence a Terra?

Muitas são as respostas possíveis, algumas verdadeiras, outras insuficientes ou até falsas. Com certa naturalidade poderíamos responder: a Terra pertence aos humanos. Apelamos até à palavra das Escrituras que nos dizem: "entrego-vos tudo... propagai-vos pela Terra e dominai-a" (Gn 9,3.7). Estranhamente, os humanos irromperam no cenário da evolução quando a Terra estava em 99,98% pronta. Eles não assistiram ao seu nascimento nem ela precisou deles para organizar sua complexidade e biodiversidade. Como pode lhes pertencer? Só a ignorância unida à arrogância os faz pretender a posse da Terra.
Poderíamos ainda responder: a Terra pertence aos seres mais numerosos que a habitam. Então ela pertenceria aos microorganismos - bactérias, fungos, vírus - pois constituem 95% de todos os seres vivos. Segundo o conceituado biólogo E. Wilson um grama de terra contem cerca de 10 bilhões de bactérias de 6 mil espécies diferentes. Imaginemos os quintilhões de quintilhões de micro-organismos que habitam a totalidade dos solos terrestres. Todos estes têm mais direito de posse da Terra do que nós, seja por sua ancestralidade, seja pelo número seja pela função de garantir a vitalidade do planeta.
Ou ela pertence à totalidade dos ecossistemas que servem à comunidade de vida, regulando os climas e a composição fiísico-química do planeta. Esta resposta é boa mas insuficiente porque esquece as relações que a Terra entretém com as energias e os elementos do universo.
Assim, a Terra pertence ao sistema solar que, por sua vez, pertence à nossa galáxia, a Via Láctea que, por fim, pertence ao cosmos. Ela é um momento de um processo evolucionário de 13,7 bilhões de anos,
Mas esta resposta não nos satisfaz pois ela remete a uma pergunta ulterior: e o cosmos a quem pertence? Pertence àquela Energia de fundo, ao Vácuo Quântico, ao Abismo alimentador de todos os seres, à Fonte originária de tudo. Esta é a resposta que os astrofísicos e cosmólogos costumam dar. E é correta. Mas não é ainda a última.
Cabe uma derradeira pergunta: a quem pertence a Energia de fundo do universo? Alguém poderia simplesmente responder: ela não pertence a ninguém, pois pertence a si mesma. Esta resposta é simplesmente uma não-resposta porque nos coloca diante de um muro. Ela nos remete à teologia, a Deus.
Mudando de registro e caindo na nossa realidade cotidiana e brutal dos negócios: a quem pertence a Terra? Ela, na verdade, pertence aos que detém poder, aos que controlam os mercados, aos que vendem e compram seu chão, seus bens e serviços, água, genes, sementes, órgãos humanos, pessoas feitas também mercadorias. Estes pretendem ser os donos da Terra e dispõem dela como bem entendem.
Mas são donos ridículos pois esquecem que não são donos deles mesmos, nem de sua origem nem de sua morte.
A quem pertence a Terra? Fico com a resposta mais sensata e satisfatória das religiões, bem representadas pela judaico-cristã. Nesta Deus diz: "Minha é a Terra e tudo o que ela contém e vocês são meus hóspedes e inquilinos" (Lv 25,23). Só Deus é senhor da Terra e não passou escritura de posse a ninguém. Nós somos hóspedes temporários e simples cuidadores com a missão de torná-la o que um dia foi: o Jardim do Éden.

___________________________________________
Autor de Opção Terra. A solução da Terra não cai do céu. Record 2009.
* Teólogo, filósofo e escritor.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

"SE EU SOUBESSE..."

"Se eu soubesse que o Candói estava nesta situação não teria me candidatado a prefeito...". Parece até o início de um poema, mas é um lamento... Desde o início do ano temos ouvido falar, em particular e em público, esta frase por parte do executivo municipal. Pois bem, Candói em termos gerais não está nem um pouco pior do que estava antes (em seus mandatos e dos outros prefeitos). Execeto em alguns pontos fracos da administração anterior, a situação de Candói é das melhores. Pois agora tem uma significativa parcela da população (segmentos) que começou a ver como as coisas funcionam. Uma parte do povo consegue perceber o que é realidade, é fato, é progresso, e o que é markting, propaganda ou falácia. Uma parte das pessoas começaram a entender que democracia se faz não só com o voto (no dia das eleições), mas com consciência, com participação, como sujeitos do processo político, administrativo, histórico. Entendem que os eleitos não podem se dar ao capricho de tomar decisões pelo povo, impôr-lhes políticas, sem antes debater com ele, sem o seu entendimento e consentimento.
Em passado não muito distante (1995-2000) foram fechadas 54 escolas "rurais", em nome de uma "nuclearização do ensino", da "educação de qualidade". As comunidades ficaram sem a Educação e suas maiores referências que eram as escolas e as professoras. Muitas comunidades se esvasiaram de tal modo que praticamente desapareceram. E "alunos" foram trazidos para cidade de ônibus... E as escolas nuclearizadas ficaram parecendo campos de concentração, com 'alunos' quase subindo por cima de professores... Para falar sobre isto pesquisei durante minha Especialização em educação do Campo (2006-2008), quando entrevistei 20 lideranças de diferentes locais. 
E logo depois (2001-2004) foi trazido um tal de "Colégio Bom Jesus" (educação privada, que se dizia "de primeiro mundo") para tomar conta da Educação Pública de Candói. Foi neste tempo que se desaprendeu a fazer Educação, pois se perdeu a autonomia, tudo vinha pronto de fora, inclusive as avaliações. Foi o tempo da Educação fora de contexto, fora da realidade, como me disse uma diretora de escola... E por um custo muito alto! E tudo isto foi feito com base em convencimento e na imposição, segundo dissseram as pessoas entrevistadas em seus depoimentos. Este material está publicado em Monografia pela UFPR, sob o título "O PROCESSO DE NUCLEARIZAÇÃO EM CANDÓI - SUA RELAÇÃO COM OS CONTEXTOS COMUNITÁRIOS E A EDUCAÇÃO DO CAMPO". (Veja artigo abaixo onde tem um resumo da pesquisa).
Então, não dá para reclamar, pois hoje o povo está exercendo a cidadania, está exigindo o que lhe é de direito, o que é bom e justo para todos. Está procurando fazer o debate, a discussão.  Nota 10 para quem participa do processo! Os tempos, a realidade e o povo mudam! Já não são mais inocentes, ingênuos como a muito tempo passado! Isto é desenvolvimento. Não apenas quando se está cheio de recursos materiais... Mas quando se vê, se pensa, se discute, se está junto, nem sempre comungando das mesmas posições e da mesma ideologia.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

EcoDebate - Divulgação

Estou realizando esta postagem para incentivar e solicitar a@s companheir@s para visitarem o Portal EcoDebate e lerem-no! Vale a pena! Aqui tem informação...





“Compreendemos desenvolvimento sustentável como sendo socialmente justo, economicamente inclusivo e ambientalmente responsável. Se não for assim não é sustentável. Aliás, também não é desenvolvimento. É apenas um processo exploratório, irresponsável e ganancioso, que atende a uma minoria poderosa, rica e politicamente influente.”

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso um leitor tenha enviado este Boletim ao seu e-mail e queira ser incluído na lista de distribuição, basta utilizar o formulário de inscrição da nossa página do boletim: http://www.ecodebate.com.br/boletim-diario/ . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.
Contato com o Portal EcoDebate
Suas opiniões, sugestões e críticas são importantes para que possamos aperfeiçoar o Portal e seu conteúdo. Pode entrar em contato conosco através do e-mail: ecodebate@ecodebate.com.br . Este mesmo e-mail deve ser utilizado para solicitar a exclusão da lista de distribuição do boletim diário.
Henrique Cortez, henriquecortez@ecodebate.com.br - Coordenador do EcoDebate.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

CONFISSÕES DO LATIFÚNDIO


Pedro Casaldáliga

Por onde passei,
plantei
a cerca farpada,
plantei a
queimada.
Por onde passei,
plantei
a morte matada.
Por onde passei,
matei
a tribo calada,
a roça suada,
a terra esperada...
Por onde passei,
tendo tudo em lei,
eu plantei o nada.

TRIBUTO A MERCEDES SOSA (1935-2009)

En el día de la fecha, en la ciudad de Bs As, Argentina, tenemos que informarle que la señora Mercedes Sosa, la más grande Artista de la Música Popular Latinoamericana, nos ha dejado.Haydé Mercedes Sosa, nació el día 9 de Julio de 1935 en la ciudad de San Miguel de Tucumán. Con 74 años de edad y una trayectoria de 60 años, Ella transitó diversos países del mundo, compartió escenarios con innumerables y prestigiosos artistas,  y dejó además, un enorme legado de grabaciones discográficas.

Su voz llevó siempre un profundo mensaje de compromiso social a través de la música de raíz folklórica, sin prejuicios de sumar otras vertientes y expresiones de calidad musical.
Su talento indiscutible, su honestidad y sus profundas convicciones dejan una enorme herencia para las generaciones futuras. Admirada y respetada en todo el mundo, Mercedes se constituye como un símbolo de nuestro acervo cultural que nos representará por siempre y para siempre.  
Quizás, las palabras de su entrañable amiga, Teresa Parodi,  resuman el sentimiento de muchos:
“…Mercedes, salmo en los labios
amorosa madre amada
mujer de América herida
tu canción nos pone alas y hace que la patria toda
menudita y desolada no se muera todavía,
no se muera porque siempre cantarás en nuestras almas…”

domingo, 4 de outubro de 2009

DO MICRO AO MACRO

Estou observando e pensando...










Analisando...

"QUANDO OS DEMÔNIOS ANDAM SOLTOS"

Egon Dionísio Heck
"Lembramos ao Sr. Ministro que o povo unido é a maior autoridade deste país! Demônios são aqueles que abusam do poder para defender interesses escusos. Demônios são aqueles que se aproveitam da fragilidade de populações violadas em seus direitos, pela negação de políticas públicas e de serviços sociais básicos, para em nome do desenvolvimento, implantar projetos que não trazem nenhuma melhoria de vida para as comunidades locais. Demônios são aqueles que não saem dos seus gabinetes para conhecer e ouvir outras posições. Demônios são aqueles que cerceiam de forma autoritária e antidemocrática os direitos da população".
(Movimento Xingu Vivo para Sempre! , 2/10/09)

sábado, 3 de outubro de 2009

"ONU CONDENA GOLPE EM HONDURAS E MANDA RESTITUIR O PODER"

"Até que emfim: ONU condena golpistas em Honduras por violar direitos".
 
Ginebra/EFE — El Consejo de Derechos Humanos de Naciones Unidas condenó ayer, en una declaración votada por unanimidad de todos sus miembros, las violaciones y vejaciones cometidas en Honduras desde el golpe de estado del pasado junio, y solicita la restauración de la democracia.El Consejo de Derechos Humanos condena rotundamente las violaciones a los derechos humanos como consecuencia del golpe de estado del 28 de junio del 2009, y en particular desde la vuelta al país del presidente (depuesto) José Manuel Zelaya Rosales el 21 de septiembre”, señala la declaración.
El texto “llama al fin de todas las violaciones de los derechos humanos en Honduras y al respeto incondicional de todos los derechos humanos y de las libertades fundamentales”.
Asimismo, solicita la “restauración de la democracia y el estado de derecho”.
La declaración fue presentada por el grupo de países de América Latina y el Caribe (GRULAC) y contó con el patrocinio de España, Francia, Suecia, Portugal, Lituania, Australia, Letonia, Dinamarca, Reino Unido, Suiza y Canadá.
El texto aprobado ayer por consenso en la sede del Organismo de Naciones Unidas en Ginebra (Suiza) recuerda que las violaciones de derechos humanos cometidas en Honduras han sido comprobadas por varios relatores especiales del Consejo.
De hecho, la declaración apoya “los esfuerzos regionales y subregionales que se están llevando a cabo para restaurar la democracia y el estado de derecho”.
2009-10-02  El Diario NY
http://hondurasurgente.blogspot.com/2009/10/ate-que-fim-onu-condena-golpistas-em.html
Nanda Tardin:  

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL - UFFS



Já se vão meses, anos, desde que a sociedade civil e mais especificamente os Movimentos Sociais da Grande Região Meso Sul do Brasil iniciou mobilização, fóruns, seminários, negociação com Brasília no sentido de instituir uma universidade na nesta parte da Região Sul do Brasil que compreende o Noroeste do Rio Grande do Sul, o Oete de Santa Catarina e o Centro-Sudoeste do Paraná. E tivemos a honra de participar com outr@s companheir@s do Município de Candói do Movimento Pró Universidade, nesta luta por uma Universidade Popular, com outra cara que não aquela da velha e elitizada academia. Nesta luta popular tivemos o apoio de figuras destacadas da política, dentre outras, do Prefeito de Porto Barreiro,  nosso companheiro João Costa.


O projeto da UFFS já passou pela Câmara Federal, pelo Senado, pelas Comissões de Justiça, e em todas as instâncias foi aprovada. Finalmente a lei de criação foi sancionada pelo Presidente da República Luis Inácio da Silva (15.09.09). A UFFS terá um campus e pelo menos cinco campi. Em Chapecó (SC, a sede), Erechim e Cerro Largo (RS), Laranjeiras do Sul e Realeza (PR). Deverá atender inicialmente 2.160 estudantes a partir de março de 2010. O o Reitor pro tempore será o Professor Dilvo Ristoff, da UFSC que é a tutora da nova instituição.


E poderíamos aproveitar o ensejo e perguntar há quanto tempo não se instituia uma nova universidade no Brasil. Seja reconhecido o mérito do Presidente Lula (que muitos acusavam de "analfabeto") em ter sensibilidade aos apelos populares e criar, dentre outras, este complexo universitário na parte Oeste da Região Sul.

Referências: http://www.uffs.edu.br/wp/

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Rosas desabrochando...


Nossas rosas florescem com esplendor trazendo a poesia da Primavera.

Il nostro rose fioriscono con splendore e portare la poesia della primavera.

GUABIJÚ


Myrcianthes pungens / guabiju

Um exemplar cultivado em nosso jardim com 70 cm de altura. Junto deste arbusto há um pé de almeirão nativo.
O guabijú é um exemplar tão insignificante que nem valeria a pena expô-lo aqui, mas é para lembrarmos do começo de qualquer projeto. E no caso de nosso jardim ele é expontâneo. No espaço de um ano foi saindo de um espaço que era apenas solo morto e 'pedra brita' e hoje é um verde que aos poucos vai tomando posse do que lhe é de direito!
***
Il Guabiju è una copia coltivati nel nostro giardino con 70 cm di altezza. Lungo questo arbusto è un supporto nativo di cicoria.
Si tratta di una copia così insignificante che non sarebbe valsa la pena di esporre qui, ma è da ricordare l'inizio di qualsiasi progetto. E nel caso del nostro giardino è spontanea. Entro un anno fu di lasciare uno spazio che era appena morto il suolo e 'ghiaia' e oggi è un verde che sta lentamente prendendo possesso è giusto!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CFR VISITA CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ARLINDO RIBEIRO & PARQUE DAS ARAUCÁRIAS

Foto da entrada do CEEPAR
Os Educandos (7ª série) da CFR de Candói juntamente com dois Monitores (formados técnicos neste Colégio) e um Educador realizamos uma Vista de Estudo ao CEEPAR e ao PA. Foi uma experiência e uma tomada de consciência da Estrutura que representa aquele colégio, de sua organização, de suas realizações... Fomos muito bem recebidos, guiados e atendidas as nossas demandas por saber. Agradecemos ao Diretor Prof. Alacir, seus pares e educand@s que nos acompanharam.
Ficamos boquiabertos ao 'ler' aquele mundo onde se realiza a Educação, a Formação técnica, dentre outras possibilidades. Por alí já passaram um irmão nosso, amig@s, sobrinhos e atualmente lá estudam três sobrinhos e diversos ex-educandos nossos de Candói. Sobre as reticências falaremos depois! E sobre o tempo, estava geladíssimo, com vento cortante e alguns desavisados quase congelaram! Nada porém impediu a gurizada de visitar todas as criações de animais, fazerem perguntas e conhecerem as oficinas de trabalho. Visitamos o novo local para onde recentemente foi transferida a Horta (lugar que era realizado um "experimento da Bayer") e onde o solo está totalmente degradado, cheio de tiriricas.







Após um ótimo almoço (com o qual contribuimos) nos dirigimos ao Parque das Araucárias onde os Educandos acompanhados dos Monitores visitaram e entraram em contato com animais silvestres (veado, porco do mato, macaco, etc) e o Museu de Paleontologia e História Natural (pelo menos eu 'acho' que é isso, de responsabilidade da UNICENTRO). Fiz algumas imagens e fui falar com Resp. Técnico para nos doar algumas mudas de Plantas Medicinais e algumas árvores frutíferas nativas. Fomos prontamente atendidos e o Sr. João nos entregou quantas mudas quisemos. Finalmente passamos pelo centro de Gurapuava, por alguns pontos turísticos e de lazer, pela UNICENTRO e eu fiquei para visitar AC e retonar com minha esposa.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

AGROTÓXICOS NO SEU ESTÔMAGO


Por João Pedro Stedile
"Os porta-vozes da grande propriedade e das empresas transnacionais são muito bem pagos para todos os dias defender, falar e escrever de que no Brasil não há mais problema agrário. Afinal, a grande propriedade está produzindo muito mais e tendo muito lucro. Portanto, o latifúndio não é mais problema para a sociedade brasileira. Será? Nem vou abordar a injustiça social da concentração da propriedade da terra, que faz com que apenas 2%, ou seja, 50 mil fazendeiros, sejam donos de metade de toda nossa natureza, enquanto temos 4 milhões de famílias sem direito a ela.

Vou falar das consequências para você que mora na cidade, da adoção do modelo agrícola do agronegócio.

O agronegócio é a produção de larga escala, em monocultivo, empregando muito agrotóxicos e máquinas.

Usam venenos para eliminar as outras plantas e não contratar mão de obra. Com isso, destroem a biodiversidade, alteram o clima e expulsam cada vez mais famílias de trabalhadores do interior.

Na safra passada, as empresas transnacionais, e são poucas (Basf, Bayer, Monsanto, Du Pont, Sygenta, Bungue, Shell química...), comemoraram que o Brasil se transformou no maior consumidor mundial de venenos agrícolas. Foram despejados 713 milhões de toneladas! Média de 3.700 quilos por pessoa. Esses venenos são de origem química e permanecem na natureza. Degradam o solo. Contaminam a água. E, sobretudo, se acumulam nos alimentos.

As lavouras que mais usam venenos são: cana, soja, arroz, milho, fumo, tomate, batata, uva, moranguinho e hortaliças. Tudo isso deixará resíduos para seu estômago.

E no seu organismo afetam as células e algum dia podem se transformar em câncer.

Perguntem aos cientistas aí do Instituto Nacional do Câncer, referência de pesquisa nacional, qual é a principal origem do câncer, depois do tabaco? A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) denunciou que existem no mercado mais de vinte produtos agrícolas não recomendáveis para a saúde humana. Mas ninguém avisa no rótulo, nem retira da prateleira. Antigamente, era permitido ter na soja e no óleo de soja apenas 0,2 mg/kg de resíduo do veneno glifosato, para não afetar a saúde. De repente, a Anvisa autorizou os produtos derivados de soja terem até 10,0 mg/kg de glifosato, 50 vezes mais. Isso aconteceu certamente por pressão da Monsanto, pois o resíduo de glifosato aumentou com a soja transgênica, de sua propriedade.

Esse mesmo movimento estão fazendo agora com os derivados do milho.

Depois que foi aprovado o milho transgênico, que aumenta o uso de veneno, querem aumentar a possibilidade de resíduos de 0,1 mg/kg permitido para 1,0 mg/kg.

Há muitos outros exemplos de suas consequências. O doutor Vanderley Pignati, pesquisador da UFMT, revelou em suas pesquisas que nos municípios que têm grande produção de soja e uso intensivo de venenos os índices de abortos e má formação de fetos são quatro vezes maiores do que a média do estado.

Nós temos defendido que é preciso valorizar a agricultura familiar, camponesa, que é a única que pode produzir sem venenos e de maneira diversificada. O agronegócio, para ter escala e grandes lucros, só consegue produzir com venenos e expulsando os trabalhadores para a cidade.

E você paga a conta, com o aumento do êxodo rural, das favelas e com o aumento da incidência de venenos em seu alimento.

Por isso, defender a agricultura familiar e a reforma agrária, que é uma forma de produzir alimentos sadios, é uma questão nacional, de toda sociedade.

Não é mais um problema apenas dos sem-terra. E é por isso que cada vez que o MST e a Via Campesina se mobilizam contra o agronegócio, as empresas transnacionais, seus veículos de comunicação e seus parlamentares, nos atacam tanto.

Porque estão em disputa dois modelos de produção. Está em disputa a que interesses deve atender a produção agrícola: apenas o lucro ou a saúde e o bem-estar da população? Os ricos sabem disso e tratam de consumir apenas produtos orgânicos.

E você precisa se decidir. De que lado você está?"

Publicado 1º. no Jornal O Globo - RJ, 24 de setembro de 2009.
http://www.mst.org.br/node/8198
Imagem: http://mundoorgnico.blogspot.com/2009_03_01_archive.html