quarta-feira, 4 de novembro de 2009

RUAS ESBURACADAS DE CANDÓI E MEMÓRIA...

Por que motivos empresas constroem asfaltos tão fraquinhos, que em pouco mais de quatro anos já estão deteriorados, cheios de buracos que estragam os carros que por ali passam ou obrigam-nos a fazer zig zag?
Por que será que prefeitos esquecem que foram eles que administraram tais construções e logo começam a lançar acusações na mídia contra seus antecessores?
Prefeitos também têm "memória curta" ou é uma forma de "tirar o corpo fora"?
É tão fácil ir a uma emissora de rádio ou a um jornal e jogar acusações para todos os lados!
É muito bom quando nós seres humanos temos a honestidade de olharmos para nós mesmos e reconhecermos quem de fato somos, ao invés de nos escondermos atrás de acusações e calúnias contra outrem!
"Povo sem memória é Povo sem História!" Que pelo menos a memória de nosso Povo cresça cada vez mais para não repetir os erros do passado histórico...

O REVERSO DO DIA DE FINADOS


No domingo, em reunião familiar, conversávamso sobre as ações referentes ao dia dos mortos. Hoje, em nosso local de Trabalho, retornamos ao tema... Naquele dia falávamos sobre as toneladas de flores que são levadas aos cemitérios para enfeitar o espaço das pessoas falecidas. E de como estas flores, na semana subsequente, são transportadas pelo sistema de coleta de lixo até os aterros sanitários. E hoje avaliávamos sobre as toneladas de parafina (ou produto similar) que são igualmente quemadas para homenagear os entes queridos. E que, em dias quentes como tem sido agora, deve aumentar a poluição, como contou-nos um companheiro (Gilberto) que esteve em São Paulo no fim de semana e ao visitar o cemitério, sob um calor de 40 graus, ainda tinha aquele mar de velas aumentando o efeito de calor no ambiente. E, de qualquer modo, as velas constituem um desperdício, pois não fazem diferença alguma para quem já passou para outra dimensão.

Entendemos, em ambas as situações, como um despropósito resultante de uma cultura, de uma crença, de um costume que precisa ser questionado, repensado e dado encaminhamentos mais inteligentes e racionais. Não somos contra o cultivo da memória das pessoas que já morreram... Quando paramos diante de uma simples lembrança nos é muito doloroso a falta das pessoas amadas, que já não estão entre nós, como uma irmã, um vovoso, um/a amigo/a... São lacunas que nos custam muito e não tem como preencher!

Mas nos perguntamos se vale a pena tanto material (flores e velas) simplesmente jogados fora?!? São tantas as instituições sérias que estão trabalhando para resolver as questões sociais da falta de trabalho, da falta de terra, da falta de alimento, da falta de moradia, da falta de educação, das faltas de tudo na vida de tantas pessoas que estão entre nós... E estas não trabalham apenas dando esmolas e criando dependência paternalista! São organizações que tem procurado criar condições de vida digna e aparelhamento aos nossos semelhantes marginalizados pelo sistema excludente. Está ai uma oportunidade de avaliarmos estas ações, que para alguns constituem a unica coisa para relembrar os mortos e depois, durante o ano todo, não fazem mais nada!

É possível, é recomendável e deveria ser  exigido que os cemitérios se tornassem ambientes mais discretos, ajardinados. E até se poderia plantar neles pomares, como era lá em Ponta Grossa/PR, no Convento das Irmãs Servas do Espírito Santo, onde se produziam peras muito saudáveis e gostosas! Junto com espaços verdes há que se pensar menos monumentos que só ocupam o espaço, e partir para recolhimento periódico de ossos (para guardar ou dra outros destinos). Ah, já pensaste como fica bonito um cemitério cheio de flores vivas nele cultivadas, sem aquele monte de plástico ou de flores ali colocadas hoje e que amanhã serão jogadas no lixo?

sábado, 31 de outubro de 2009

"É preciso comer menos carne para salvar a Terra?"

"Fabrice Nicolino, autor de Bidoche, L’Industrie de la viande menace le monde (Éditions Les Liens que Libèrent), respondeu, dia 16 de outubro, às questões dos leitores do Monde.fr sobre os efeitos nocivos do aumento massivo do consumo mundial de carne sobre o meio ambiente e a saúde.
Os diálogos com Fabrice Nicolino estão publicados no Le Monde, 16-10-2009. A tradução é do Cepat.
Ours: De que modo a produção de carne tem consequências sobre a mudança climática?
Fabrice Nicolino: É uma questão complexa, mas dispomos de um documento oficial, institucional, um enorme relatório de 2006 da Organização para Alimentação e Agricultura (FAO), da ONU. De fato, trata-se de uma análise global de todo o ciclo da produção pecuária no mundo. Não somente dos animais, mas a sua alimentação, os meios de transporte utilizados [para levá-los aos frigoríficos]. Esse relatório estima que todo o gado mundial emite 18% de gás de efeito estufa de origem humana, e esse total é superior àquele que diz respeito aos transportes utilizados pelos seres humanos (carros, navios…).
Pharell_Arot: Bom-dia. Sendo um aficionado por carne, eu me pergunto sobre as condições a serem adotadas para conjugar os prazeres alimentares e o desenvolvimento sustentável. Quais são, para você, as precauções que um consumidor médio pode tomar imediatamente?
Fabrice Nicolino: A primeira coisa é lembrar que o consumo de carne na França foi multiplicado aproximadamente por 4 desde a segunda Guerra Mundial. Nós comemos muita carne, por razões econômicas e políticas. Eu realmente não tenho conselho a dar. Minha opinião é que podemos comer muito menos carne, comer uma carne de melhor qualidade. Pessoalmente, eu como carne, mas cada vez menos, e é carne biológica, porque nesta maneira de produzir está proibido o uso em grande quantidade de produtos medicinais e químicos.
Pharrell-Arot: Há consumos de espécies menos perigosas que outras para o planeta? A de porco, por exemplo?"
Continua... Para ler este diálogo na íntegra entre aqui:
http://www.ecodebate.com.br/2009/10/31/e-preciso-comer-menos-carne-para-salvar-a-terra/

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

"Cutrale devolve terras griladas"

Foi exatamente nesta perspectiva que questionávamos em artigo anterior (MST - CUTRALE - TERRAS PÚBICAS - REFORMA AGRÁRIA, 15/10/2009) a questão da Cutrale como grileira de terras públicas. Surpreendeu! Parabéns pelas pessoas que repensaram sua atitude criminosa e ainda desafiaram outras a fazerem o mesmo!

Artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)
"Num gesto único na história brasileira, a Cutrale vai devolver as terras públicas que grilou para plantar laranja. Segundo uma pessoa que ocupa cargo decisivo, “mais importante que sete mil pés de laranja derrubados, são as cem mil famílias de brasileiros que estão na beira das estradas”. O único condicionante da empresa é que as terras sejam destinadas à reforma agrária, dando preferência às famílias que ocuparam o lugar dias atrás.

Para maior surpresa, admitiu que é inconcebível que, “num país de 8,5 milhões de Km2, haja tantas pessoas sem um lugar para trabalhar e até mesmo para morar”.
Continua... EcoDebate

Estamos, na base, de olho para avaliar onde vai dar esta decisão de reparação pública!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

ENCONTRO PROVIDENCIAL...

Estava eu a fazer algumas compras na seção de frutas e verduras de um supermercado de Candói (20.10.09), quando vejo à minha frente um homem que também exercia o mesmo 'ofício'. Lembrei, apesar de seu óculos de sol, tipo tiara, a disfarçar as madeixas, que se tratava de uma pessoa conhecida. Provoquei-lhe... “Que tal, vamos levar o mercado para casa!?” Iniciamos um bate papo informal... Bem sossegado, cado um concentrado em suas compras o suficiente para não perder a compostura na escolha dos produtos... Perguntei-lhe então: “Teu filho estudou comigo, não?” Ao que respondeu: “Ah, o fulano de tal... Sim, pode ser!” Ele não se recordava que já havíamos conversado em outros tempos. E disse-me: “Ele está ali ao fundo!" Logo o mesmo jovem veio até nós e nos cumprimentamos. Este  (que eu chamava de 'selva', 'floresta', significado do seu nome) fora um gurí muito bom como estudante. Era dedicado, responsável e muito educado.
E o homem, sua esposa e filho são moradores do campo. Residentes da Comunidade de São Pedro. E buscam complementar alguns produtos que não são cultivados em sua Unidade de Produção e Vida Familiar (terreno). Passou a explicar-me que era seu sonho ver seu filho formado em um curso universitário, como fez sua filha ao se formar em administração, mas que seu filho não quisera ir para a faculdade. Faria um curso técnico (tipo pós médio). Mas acabou não fazendo nenhum nem outro. Optou por ficar no campo trabalhando junto com o pai e a mãe.
O pai então falou-me que foi aconselhado por amigos a não forçar o filho a estudar mais fora, em outra cidade, em lugar estranho, pois pois poderia ser que estivesse empurrando seu filho para a malandragem e para a marginalidade. Contou que o mesmo trabalha muito bem nas lidas de cultivo das lavouras e cuidado dos animais... Disse que é um filho de ouro, feliz como vive e como trabalha.
Fiquei avaliando como a escola, por mais descontextualizada..., não consegue arrancar todos os camponeses do do seu habitat e empurrá-los para as cidades. Estava ali um exemplo de uma postura consciente, decidida e realizada! Um jovem que optou por ficar junto aos seus progenitores na área de moradia deles, em um espaço possível de se viver,  se desenvolver e ser feliz! Valeu a pena encontrar e recordar e saber mais!

domingo, 18 de outubro de 2009

LIÇÕES DE VIDA

Recebi este material, estas lições de vida, de Regina Brett¹, encaminhadas pela amiga Lucy Silva. Analisei-as, concordei com a maioria. Uma ou outra achei conformista... Mas aqui vai!
& # * & # * & # *

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou. É a coluna mais solicitada que eu já escrevi.



Meu hodômetro passou dos 90 em agosto, portanto aqui vai a coluna mais uma vez:
1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente, o próximo passo, pequeno .
3. A vida muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. É bom ficar bravo com Deus. Ele pode suportar isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos. Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use lingerie chic. Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrica/o agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
26. Enquadre todos os assim chamados “desastres” com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo.
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente".
___________________ 
Estima-se que 93% não encaminhará isto. Se você for um dos 7% que o farão, encaminhe-o com o título '7% '. Eu estou nos 7%.
¹ Escrito por Regina Brett, 90 anos de idade, em The Plain Dealer, Cleveland , Ohio  - EUA.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

MST - CUTRALE - TERRAS PÚBICAS - REFORMA AGRÁRIA


A poucos dias o MST de forma justa ocupou uma fazenda de produção de laranja e derribou um pequeno pedaço do laranjal da CUTRALE,  grilera que cultiva em terras públicas, para realizar plantação de alimentos básicos e para chamar a atenção das autoridades, dos "representantes do povo" (deputados e senadores), para a grilagem, a necessidade da Reforma Agrária naquela região e no Brasil. 
Naqueles dias a mídia (a serviço da burguesia capitalista e que só defende o capital, o lucro, as empresas) saiu em defesa da pobre CUTRALE, destacou os prejuízos, o vandalismo,  terrorismo, arruaça, atentado à democracia. Os porta vozes do Agronegócio ( "o grande negócio que gera morte para parte do povo brasileiro e vultosos lucros para uma minoria")¹ sairam com os mesmos e desgastados argumentos contra os camponeses, berrando "CPI do MST", porque estes recebem dinheiro público via ONGs que o apóiam,  dentre outros... "O latifúndio", já dizia o Mestre Dr Gracialino, "tem as mãos sujas de sangue!" E neste caso as terras, segundo o INCRA, pertencem à União desde 1909. Só 100 anos... A área possui mais de 2,7 mil hectares, utilizadas ilegalmente pela Sucocítrico Cutrale para a monocultura de laranja - o que demonstra o aumento da concentração de terras no país, como apontou recentemente o censo agropecuário do IBGE"².
E isto só não percebe quem não consegue ouvir, ver e falar!  Mas insisto: observe quanta terra pata produzir laranjas, commodities, fazer dinheiro... "O brasileiro José Luís Cutrale e sua família detêm 30% do mercado global de suco de laranja, quase a mesma participação da Opep no negócio de petróleo"³ e que sozinha se apropria de tudo o que ali se produz! Não, alí não se produz alimento para a população!


______________________________________________
³ http://www.veja.abril.com.br/ - Ed 1802, 14/05/2003.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

"CAMINHO"

Há caminho e caminho! Não nos confundamos...


"Sim, há caminho que ao homem
parece direito, mas o seu fim
são os caminhos da morte"
(Provérbios 14:12).


No caminho dos perversos
não te embrenhes,
não sigas pelo
caminho dos maus"
(Provérbios4.14).

domingo, 11 de outubro de 2009

A QUEM PERTENCE A TERRA?

Leonardo Boff *
No Brasil se discute muito a questão da internacionalização da Amazônia ou a quem pertence essa rica porção do planeta Terra. Sem querer entrar nesta discussão que um dia retomarei, percebo que ela remete a outra ainda mais fundamental: a quem pertence a Terra?

Muitas são as respostas possíveis, algumas verdadeiras, outras insuficientes ou até falsas. Com certa naturalidade poderíamos responder: a Terra pertence aos humanos. Apelamos até à palavra das Escrituras que nos dizem: "entrego-vos tudo... propagai-vos pela Terra e dominai-a" (Gn 9,3.7). Estranhamente, os humanos irromperam no cenário da evolução quando a Terra estava em 99,98% pronta. Eles não assistiram ao seu nascimento nem ela precisou deles para organizar sua complexidade e biodiversidade. Como pode lhes pertencer? Só a ignorância unida à arrogância os faz pretender a posse da Terra.
Poderíamos ainda responder: a Terra pertence aos seres mais numerosos que a habitam. Então ela pertenceria aos microorganismos - bactérias, fungos, vírus - pois constituem 95% de todos os seres vivos. Segundo o conceituado biólogo E. Wilson um grama de terra contem cerca de 10 bilhões de bactérias de 6 mil espécies diferentes. Imaginemos os quintilhões de quintilhões de micro-organismos que habitam a totalidade dos solos terrestres. Todos estes têm mais direito de posse da Terra do que nós, seja por sua ancestralidade, seja pelo número seja pela função de garantir a vitalidade do planeta.
Ou ela pertence à totalidade dos ecossistemas que servem à comunidade de vida, regulando os climas e a composição fiísico-química do planeta. Esta resposta é boa mas insuficiente porque esquece as relações que a Terra entretém com as energias e os elementos do universo.
Assim, a Terra pertence ao sistema solar que, por sua vez, pertence à nossa galáxia, a Via Láctea que, por fim, pertence ao cosmos. Ela é um momento de um processo evolucionário de 13,7 bilhões de anos,
Mas esta resposta não nos satisfaz pois ela remete a uma pergunta ulterior: e o cosmos a quem pertence? Pertence àquela Energia de fundo, ao Vácuo Quântico, ao Abismo alimentador de todos os seres, à Fonte originária de tudo. Esta é a resposta que os astrofísicos e cosmólogos costumam dar. E é correta. Mas não é ainda a última.
Cabe uma derradeira pergunta: a quem pertence a Energia de fundo do universo? Alguém poderia simplesmente responder: ela não pertence a ninguém, pois pertence a si mesma. Esta resposta é simplesmente uma não-resposta porque nos coloca diante de um muro. Ela nos remete à teologia, a Deus.
Mudando de registro e caindo na nossa realidade cotidiana e brutal dos negócios: a quem pertence a Terra? Ela, na verdade, pertence aos que detém poder, aos que controlam os mercados, aos que vendem e compram seu chão, seus bens e serviços, água, genes, sementes, órgãos humanos, pessoas feitas também mercadorias. Estes pretendem ser os donos da Terra e dispõem dela como bem entendem.
Mas são donos ridículos pois esquecem que não são donos deles mesmos, nem de sua origem nem de sua morte.
A quem pertence a Terra? Fico com a resposta mais sensata e satisfatória das religiões, bem representadas pela judaico-cristã. Nesta Deus diz: "Minha é a Terra e tudo o que ela contém e vocês são meus hóspedes e inquilinos" (Lv 25,23). Só Deus é senhor da Terra e não passou escritura de posse a ninguém. Nós somos hóspedes temporários e simples cuidadores com a missão de torná-la o que um dia foi: o Jardim do Éden.

___________________________________________
Autor de Opção Terra. A solução da Terra não cai do céu. Record 2009.
* Teólogo, filósofo e escritor.